7 de mar de 2016

Treinar a cabeça para a prova-treino

Olá pessoal,

Há alguns dias venho conversando com o meu treinador, San Palma, sobre "provas-treino" e como encaixá-las no meio da temporada para a prova-alvo, sem querer competir e sim usar o pace de treino visando o objetivo maior.


www.foto7.com.br
A primeira "prova-treino" que escolhi foi a meia maratona de São José dos Pinhais (que terá post logo por que vale muito a pena!!), minha cidade natal e cujas ruas compõem meu percurso de treinos. São subidas e descidas longas, curtas, contínuas, fortes, brandas...trajetos sempre duros. Quis corrê-la por ser em casa, bem organizada e desafiadora porém não fui pra tempo mas sim para me testar. Corri dentro do proposto: pace, frequência cardiaca, concentração, exatamente o esperado para um inicio de temporada, vinda de um ano pesado e de um "bode" com a corrida.  Hoje, segunda-feira, treinei normalmente (corrida e natação) e durante o treino de corrida me perguntaram: "mas já está correndo??? Fez a meia maratona ontem!!". 

Então vamos lá, vou aproveitar a explicação didática e resumida do San Palma sobre o assunto:

Prova-treino é uma prova que encaixa no meio da periodização da prova-alvo. Pode-se competir antes desta mas tem que entender que as provas durante a periodização serão provas-treino e não provas-alvo. Será pra treinar pace, ritmo de prova, distância - que foi meu caso nessa meia maratona.

Se o propósito for usar a prova pra treinar (o famoso treino de luxo) não faz sentido descansar depois, porque é um treino como outro qualquer. É necessário uma recuperação ativa mas não um day-off. Assim como na véspera de prova não precisa descansar muito também porque ela é prova treino e não prova-alvo. 

A prova treino é importante para o emocional e psicológico; para treinarmos a ansiedade para a largada;  a logistica com suplementação, vestuário e equipamentos;  a alimentação, os detalhes antes da prova (chegar, instalar tudo, etc). E vamos combinar que tudo isso pode tirar o sono da gente não somente na noite anterior, como várias antes!!! E ninguém quer sacrificar uma temporada inteira de preparação para detonar tudo uma noite antes, né? 

#confiaevai by San Palma
Em outro post falei (esse aqui) sobre o "feeling" para correr, lembram? Então, usei o feeling para correr esses 21km. Agora é hora de testar tudo, é o momento de se conhecer e organizar os detalhes. Então corri sem crônometro. Na verdade, estava com o relógio mas tapei o visor, ou seja, não tinha como saber nada. Confesso que não foi fácil. Não mesmo!! Era automático olhar para ele a cada km, querer ter dimensão da velocidade, do pace. E foi então que entendi que teria que confiar no meu feeling para ditar meu ritmo e seguir em frente, ouvindo meu corpo, sentindo as batidas do coração, atenta á respiração e a sensação subjetiva de esforço. E não é que deu certo? Mantive dentro do ritmo esperado, mesmo com todas as subidas e descidas, o calor e o sol, e a expectativa da primeira prova de corrida do ano.

Duas coisas foram imprescindíveis para encaixar uma prova-treino antes da prova-alvo: foco e disciplina. Foco no objetivo maior lá na frente e disciplina para fazer seu treino de luxo exatamente um treino e não uma competição. Corredores irão passar por você, as suas pernas vão te convidar para acelerar o passo, o cardiorrespiratorio vai tentar te convencer que você pode ir mais rápido e aí caberá a você mostrar quem manda e qual é o seu objetivo. Para quem não é tão xiita, use o relógio, cronômetro, Garmin para se manter dentro do proposto por seu treinador. Quem quiser se desafiar um pouco mais, corra sem ou então cubra o visor. É uma experiência interessante para qualquer corredor. 

Créditos: Rick Nogueira- www.foto7.com.br
Adquirir domínio sobre si mesmo, sua velocidade, seu corpo e sua mente é importante para o dia da prova maior. Alguns acompanharam a maratona de Frankfurt comigo e sabem do nível de concentração que corri (ainda escreverei exatamente sobre isso!) essa prova e a partir do momento que você se torna imune ao efeitos exteriores , sua performance só ganha com isso. Converse com seu treinador, que saberá lhe auxiliar na sua periodização e como encaixar provas-treino no ciclo para sua prova-alvo. 

A performance na corrida é somatória não só dos números da planilha e dos cálculos nutricionais mas também da sua percepção sistêmica, do seu autoconhecimento de forma global e, principalmente, do seu trabalho mental. Faça sua mente trabalhar a seu favor.

Bons treinos e até a próxima (já já sai o post contando tudo sobre a meia maratona)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário