8 de fev de 2016

Turismo em Curitiba, cultura e corridas - Bosque João Paulo II


Olá pessoal,

Nesse Carnaval me propus a "turistar" por aqui mesmo. Visitar locais que há tempos não ia, rever outros que gosto muito, enfim, dar uma olhada no que Curitiba tem a oferecer em um feriado prolongado. Além do mais, redescobrir pontos turísticos além de ser um grato presente a nós mesmos, pode ajudar a quem não conhece Curitiba, a conhecê-la com outros olhos. Quantos de vocês não vem para cá para maratona, meia maratona, triathlon no litoral ou a trabalho, ou simplesmente a passeio? Então, bora conhecer um pouco mais!

Como estou no resgaste pelas tradições culturais familiares, ou seja, conhecer um pouco mais das culturas das quais sou descendente:  polonesa e austríaca/alemã.  Pensei no que fazer e eis que o Bosque do Papa me chamou. Chegando lá, parece que ele me olhou e disse, em tom saudoso e nostálgico:


"Há quanto tempo você não vem me ver???" E a resposta foi rápida: "há tanto tempo que já está na hora de dar um abraço apertado"

Visitar o bosque do Papa é uma viagem na cultura polonesa e um acalento para nós, da geração mais jovem e distante da terra que carregamos no sangue.

Arquivo pessoal

BOSQUE PAPA JOÃO PAULO II

Bom, pra quem não conhece, o Bosque João Paulo II fica no bairro Centro Cívico, atrás do Museu Oscar Niemayer e tem duas entradas: uma justamente saindo do MON e atravessando o ParCão, pela Rua Vieira dos Santos, e outra pela Wellington Viana com acesso pela Rua Mateus Leme. 

Se entrar pela rua Viera dos Santos, terá o prazer de percorrer uma pequena trilha pavimentada por dentro do bosque, até chegar ao miolo onde está o museu da cultura polonesa, a capela, os paióis e a administração (ah, e os sanitários!).  Já pela outra entrada, o acesso é direto passando pelo portal de homenagem ao bosque (cuidado ao cruzar a ciclovia!). A linha turismo tem a parada nessa entrada.

História do bosque

Arquivo pessoal
O Bosque João Paulo II, inaugurado em dezembro de 1980, não só eternizou a passagem do Papa por Curitiba em junho de 1980 quando ele visitou a casa típica polonesa montada durante a solenidade no Estádio Couto Pereira, como presenteou a cidade com uma linda homenagem à colônia polonesa.

O projeto do paisagista Burle Marx, que fiscalizou pessoalmente os trabalhos de limpeza do Bosque, teve como prioridade a preservação da mata nativa, além do plantio de novas mudas de pinheiros (Araucária angustifolia). Outro destaque são os plátanos (Platanus orientalis), com porte bem desenvolvido e introduzidos no local há dezenas de anos.

  • Área: 48.000 m2
  • Localização: Rua Mateus Leme X Rua Vieira Santos X Rua Mário de Barros
  • Bairro: Centro Cívico
  • Ano de Implantação: 1980
  • Acesso: Gratuito
  • Fauna: Os pássaros se fazem presentes através de sabiás, bem-te-vis, coleirinhas, chupins, tico-ticos, canários-da-terra, sanhaços e pica-paus.
  • Flora: Plátanos, araucária, cedros, pitangueiras, carvalhos, cerejeiras, ipês, tarumãs, uvas do japão.
 (Fonte Prefeitura de Curitiba)

O que fazer

No "centrinho" do bosque, nomemorial da imigração polonesa, há algumas casas típicas polonesas, onde estão o museu, capela, paiol com instrumentos de trabalho, administração. Elas ilustram o início da colonização polonesa em Curitiba e região ( 1878) e eram feitas de troncos de pinheiros encaixados, um a um. A maioria servia como paiol.

arquivo pessoal


 As de coloração branca eram moradia e assim se diferenciavam das de madeira, por terem barro fechando os encaixes das madeiras e a pintura com cal para conservar o calor dentro da residência.

Casa com paredes calfinadas para
conservar o calor. 

Em uma das casas, que foi visitada pelo Papa em sua vinda a Curitiba (1980), foi criada a capela em homenagem à Virgem Negra de Czestchowa, que é padroeira da Polônia. Também conhecida como Nossa Senhora do Monte Claro, a ela são atribuídas inúmeras graças, inclusive a proteção da Polônia durante o comunismo um pouquinho mais sobre ela). Esta casa foi montada no estádio Couto Pereira, onde houve a missa campal e logo depois foi montada no bosque e visitada pelo Papa.

Arquivo pessoal
Há também o museu agrícola, com utensílios usados na lavoura e no dia a dia do início da colonização (como a pipa de azedar repolho, carroça, moedor de milho, amolador de pedra, etc.), e a reprodução de uma casa e alguns mobiliários domésticos (proibidos de filmar ou fotografar). Mas já era possível perceber o cuidado com detalhes, acabamentos em meio a simplicidade do povo polonês. 

Pipa de azedar repolho

Instrumentos em geral


Andando mais uns metros, há um memorial ao Papa João Paulo e também uma estátua de Nicolau Copérnico, cientista polonês.

Nicolau Copérnico
Memorial em homenagem a João Paulo II
Para quem gosta de lembrancinhas e souvenirs, há a lojinha com produtos artesanais locais, como as Pêssankas, bonecas, biscoitos, objetos decorativos. 

E é claro que no bosque João Paulo II também acontecem comemorações e festas típicas polonesas, com apresentação de grupos típicos, além da culinária polonesa conhecida pelo pirogue e os doces típicos. A Páscoa, comemoração da vinda do Papa João Paulo II a Curitiba, Padroeira da Polônia e São Nicolau são algumas dessas comemorações (e vamos acompanhar todas elas!!!). 

Saindo de lá, quem quiser pode passar pelo MON - Museu Oscar Niemayer. Tem duas exposições bacanas de fotografia: Gluck, o tempo e a imagem, de Guilherme Gluck e a Polaroids, de Charif Benhelima. 
Quando chegamos ao MON, após o bosque, as filas para comprar ingressos e para entrar, estavam enormes. Deu aquela desanimada... Eu imaginei que estaria cheio por ser o primeiro domingo do mês (costuma ser gratuita a entrada porém agora é somente até as 13h!!!!) mas era movimento mesmo. 
Fica para a próxima! 

Como chegar no bosque
Linhas de ônibus: Mateus Leme, Taboão, Abranches, Vila Suiça (horários e itinerários)
Automóvel - estacionamento do parque e nas ruas da região.
Bicicleta - há ciclovias que levam até o bosque. 

Horário
Segunda a domingo. 

Para os corredores de plantão

Há várias corridas que saem da região do MON e bosque do Papa e que passam por eles também. Dentre as que já participei, são elas: Meia maratona de Curitiba (largada e chegada no MON), 25km de Curitiba e Revezamento entre Parques (Largada entre o MON e o Bosque), Maratona de Curitiba (passa pelo MON). 
Maratona Curitiba 2010
Meia Maratona Curitiba 2013

Largada 25km Curitiba - 2015

Até a próxima! Bons treinos e bom turismo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário