23 de nov de 2015

Paciência, a grande guerreira



[CRÔNICAS DAS CORRERIAS]

Choveu a noite inteira mas aos poucos os pingos foram acalmando e, um a um, sumindo por completo. O céu clareou, a manhã se fez presente e o sol, sorrateiro,  deu seu bom dia juntamente com o azul que teimosamente insistia em permanecer na segunda-feira. Encantada com a paisagem que se formou tão cedo, saí para correr. Ao chegar na esquina, me deparei com os raios de sol que transpassavam uma árvore e iluminavam toda a rua. E quanto mais corria, mais aqueles raios insistiam em me acompanhar e aquecer. Porém na metade do percurso, o céu azul foi vencido pelo cinza, as nuvem carregadas ressurgiram e aqueles raios de sol tão amistosos se despediram, dando lugar àqueles pingos de chuva sorrateiros que decidiram voltar. A paisagem tão iluminada, digna de uma primavera, deu lugar ao cinza úmido. E eu terminei o treino, encharcada, num misto de transpiração e chuva, porém grata pela oportunidade de iniciar a manhã de uma forma tão maravilhosa.

E toda essa narrativa de alguns kilometros, me fez pensar muito, principalmente o quanto somos pequenos diante da imensidão e do poder da natureza. O que nos resta senão contemplar cada momento, absorver dele a sua energia e saber que cada situação traz consigo algo positivo. Não temos o poder de fazer as coisas acontecerem no NOSSO tempo mas temos o poder de aprender com cada etapa desse tempo.  

Paciência, persistência e resiliência. Nenhuma evolução e nenhum objetivo se alcança sem elas. Ter a paciência para fazer cada treino (principalmente nos macro ciclos), persistir quando as condições não são as mais favoráveis (clima, problemas pessoais, profissionais) e quando algo não der certo, voltar pro rumo e continuar. O caminho é árduo, a paisagem muda, os obstáculos surgem, mas nos mantemos ali no percurso, seguindo pacientemente, persistindo nas dificuldades e se refazendo a cada tropeço. 

"Os mais poderosos guerreiros são o tempo e a paciência", disse Tolstoy. O problema é que há muitas guerras e cada vez menos guerreiros, por falta de tempo em se dedicar a algo de coração e por não haver paciência de seguir até o final, enfrentando todas as interpéries. 

5 de out de 2015

(N)As quebradas da vida


Sempre acreditei que cada experiência traz sempre uma lição, boa ou ruim, ela deixa um aprendizado. Infelizmente aprendemos mais com as situações difíceis do que com as boas mas talvez seja por isso que as ruins surgem na nossa vida: para agregar. Sim, experiências densas também agregam, aliás são as que mais contribuem para o nosso crescimento e nossa melhora pessoal e profissional. Os períodos mais pesados são aqueles que nos forjam, que nos tornam mais fortes e também mais sensíveis aos bons momentos. São eles que nos despertam uma vontade de mudar, de evoluir, de tentar algo novo.

Quantas pessoas começaram a praticar atividade física depois de algum problema de saúde? Quantas iniciam um projeto engavetado há tempos em razão de alguém?  Ou quantas pessoas não enfrentam um trauma por necessidade? A vida é surpreendente pois quando menos se espera: pá! A gente se obriga a agir e a se reinventar. Não tem aviso, preview, anúncio...ou você age ou morre na praia.

Na última maratona, o psicológico me boicotou no km23. Quebrei ali, andei e pensei no que fazer...Desistir não era opção mas a cabeça não estava colaborando. Eis que apareceu um corredor e me puxou do buraco negro até conseguir sair daquele looping mental e continuar a correr bem. Esse fato ficou na minha mente por dias...Não encontrei explicação para eu ter caido no km23 mas encontrei uma lição para a vida. 

E ao fazer uma analogia com ela, mais uma vez entendi que por mais denso que seja o momento e a situação, só cabe a nós resolve-la. Teremos sim pessoas que nos ajudarão e apoiarão mas o sucesso mesmo só virá se estivermos dispostos a lutar, a vencer medos, preconceitos e, principalmente, a insistir. E por pior que possa parecer, sim, teremos forças para lutar e batalhar até o fim. Por mais que a cabeça diga "não dá", sim, insista, lute, enfrente, porque ela consegue sim.

Foto: Rick Nogueira
No último domingo matei as saudades do Circuito de Corridas de Rua da Prefeitura de Curitiba. Foi onde comecei há mais de 12 anos e há alguns outros estava ausente. Realizada no 20.º BIB, é uma prova que sempre traz boas lembranças...sempre com uma energia bacana e muitas subidas e descidas (que não dá pra esquecer mesmo!). Depois de chegar, sentei na arquibancada e assisti a chegada de muitos outros corredores... 

Cada um que cruzava o pórtico, manifestava-se de alguma forma e eu me perguntava: "o que o fez correr esses 10km?" ou "porque será que ele (a) está comemorando tanto?", Por trás de cada vitória pessoal tem uma história surpreendente, pode apostar. Pudera eu saber um pouquinho mais sobre cada sorriso daqueles... Fiquei ali um bom tempo, olhando aquele espetáculo um pouco mais de longe; contemplando tanta alegria, tantos sorrisos; e absorvendo tanta energia  do bem (porque se há um lugar que exala boa vibração é uma corrida de rua). 

E então, ali sentada, finalmente entendi que essa é a mágica da corrida: curtir cada momento com muita alegria. Cada um corre por um motivo e almeja cruzar o pórtico por alguma razão, independente da distância. Não somos nada diante da dimensão dessa vida e o mínimo que devemos ter é humildade diante dela. E reconhecer que se algo não der certo, será que o que achavamos certo, realmente era? 

Bom, agora terei que pensar a respeito dessa resposta... quem sabe numa próxima corrida, numa dessas quebradas da vida... 

Independente da prova ou da distância, sorriso no rosto, alma leve e coração grato sempre. 

Bons treinos! 
"Enjoy your journey, enjoy the life."

1 de out de 2015

Maratona de Foz do Iguaçu

eucorro.com
Demorei mas cheguei para o release da Maratona de Foz!

Na verdade, queria "absorver" essa prova que foi muito intensa, não só por ela em si mas pelo contexto em que ela ocorreu para mim. Eu não queria ter ficado internada uma semana antes, com medicação pesada na veia, tão pouco passar a semana a base de antihistamínico, corticoide e antiinflamatório. Para quem não sabe, duas coisas: odeio tomar remédios, só tomo em caso de extrema (muito extrema) necessidade; e fui picada por uma abelha e sou alérgica, tive reação pesada e por isso passei o domingo hospitalizada.


Mas vamos lá, porque o post é sobre a queridinha, super super, mãe de todas as corridas: MARATONA (yeaahhh!).

A maratona internacional de Foz do Iguaçu era um sonho antigo. Amo essa cidade, já fui algumas vezes e me identifico demais com a região e com a população. Não sei, é daquelas cidades que te abraçam e você se apaixona. A ideia era ter corrido ano passado mas em função da Copa do Mundo, ela foi cancelada, então deixei para 2015. Como decidi fazer a travessia de 8km de Bombinhas antes da maratona ser confirmada, tivemos um belo desafio: duas provas longas em um mês. Mas o coach San Palma disse que seria possível...e foi! Planejamento de treinos foi perfeito e o desafio foi concluído com saúde, qualidade e rendimento!!

Organização

Organizada pelo SESC PR, a maratona de Foz do Iguaçu é simplesmente impecável. A começar na chegada no aeroporto, onde havia o transfer gratuito em vans e micro ônibus para os hotéis conveniados, e uma equipe alegre e sempre pronta. 

Para buscar o kit no SESC (que fica mais afastado do centro da cidade), também havia transfer gratuito, de hora em hora, bem como para o retorno (sempre aos hoteis conveniados). 

Como a largada era bem cedo, a partir das 6h e encerrando as 6h30 para as categorias, a organização disponibilizou ônibus saindo dos mesmos hoteis até a largada, as 4h30 e 4h45, os quais passavam pontualmente, bem como o "ônibus carona", no retorno das Cataratas para o hotel. Este eu fiz uso e foi uma super ajuda!!! Para quem não conhece, o parque das cataratas é bem afastado do centro da cidade e, logo, dos hoteis conveniados. Pegar ônibus de linha, depois de 42km, suada e molhada da chuva seria tenso...e táxi, muito caro. O transfer da organização foi perfeito. Para a largada, pegamos carona com um grupo de corredores de Itararé, que tinham van própria, e chegamos mais perto do horário da largada (obrigada pessoal!!!!). 

Kits
A retirada dos kits estava bem organizada ( no sabado inicio da tarde), todos muito prontos e educados. O kit era composto pelo chip, numeral de peito, camiseta e mochilinha. Eu achei super a contento, em relação ao valor da inscrição.  Na retirada, ainda pude conhecer o mito das corridas de rua no Brasil, Gregório Lavandoski, que estava divulgando a Maratona do Vinho, em Bento Gonçavels (passem no site pra dar uma olhada!).
Arquivo pessoal

Prova

Depois da chuva moderada da madrugada, o dia amanheceu sem chuva, quer dizer, com alguns pingos esparsos. Clima ameno, sem sol, perfeito para correr. Durou alguns kilometros até que a chuva fina apareceu para refrescar...e durou o resto da prova, as vezes mais forte, outras mais fraca, mas o suficiente para ir encharcando roupas e tênis. 

Com postos de hidratação a cada 3km, ninguém ficou sem água. A partir do km 15, também havia coca-cola, isotônico e no km 21 frutas. Ou seja, sem perrengues para ninguém nos 42km.

Percurso
Divulgação
O percurso é lindo. Saímos do SESC, fomos até a Itaipú (onde seria a largada originalmente mas em razão da greve, não poderia ser feita lá) e seguimos em direção ao parque das cataratas, cruzando todo o centro da cidade e a rodovia. 

O percurso estava fechado parcial e totalmente (em alguns trechos) para os corredores. Não tinhamos que nos preocupar com motoristas xingando, acelerando, cortando nossa frente ou tentando invadir nossa pista. Excelente trabalho da PRF, GM e Exército. 

eucorro.com
Sim, há muitas subidas e descidas. Ao contrário da maratona de Curitiba, as subidas de Foz são fortes e sequenciais. Não há "plano" pra dar aquela descansada, recuperada. É literalmente um "sobe-desce". Cansa bastante mas o cenário da chegada compensa!! Cruzar o pórtico em frente as cataratas, não tem preço (aliás, tem, 42km...hahaha). Eu arriscaria a dizer que Foz é mais pesada do que Curitiba (minha opinião, sem polêmicas, por favor!).

Se eu voltaria? Sim!!! Não sei se ano que vem ou em outro...mas voltaria sim, sem dúvidas. Cidade fantástica, energia positiva sem fim, extremamente bem organizada e com respeito total ao corredor! 

Eu não fui tão bem quanto gostaria, até porque não tinha uma meta exata de tempo. Fiz uma prova forte um mês antes, fiquei  hospitalizada uma semana antes...Sabia que tinha "pernas e cardiorrespiratório" para completar mas meu psicológico deu uma baqueada no km23. Como nunca estamos sozinhos nessa vida, tive o privilégio de ser "encontrada e puxada" por um corredor que me salvou daquele buraco negro mental...rs Entre conversas, trocas de experiências e algumas risadas, o psicológico voltou pro lugar e foi hora de auxiliar aquele mesmo corredor a concluir sua primeira maratona!

Quando eu corri meus primeiros 42km, tive a sorte de ter um anjo que me puxou no final e que sou grata até hoje. Neste ultimo domingo tive também a oportunidade de retribuir, seis anos depois, a "puxada" final na maratona e ver a alegria e a emoção da primeira maratona concluída, nos olhos de alguém. 

Nada é por acaso. E como eu sempre digo, maratona é uma lição de vida...muita coisa acontece em 42km...muita coisa MESMO! Eu sou grata por estar cercada de pessoas boas e poder conhecer tantas outras. As vezes é bacana se desligar do "tempo" e curtir o que a prova pode nos trazer: amizades, superação, autoconhecimento, fortalecimento. É naquele momento que você "quebra", que você percebe que pode sim ir mais longe...basta respirar, pensar, aquietar que a solução aparece ( e te chamando até de "guerreira!"). Talvez seja por isso que goste tanto de maratona...após esta 13.ª, a única certeza que tenho é que quero mais 13...depois 13...e outras 13!

Arquivo pessoal
Minha gratidão imensa ao coach San Palma (Carla Moreno Team) por tornar possível mais um sonho e me auxiliar a concretizar mais um desafio. Treino inteligente é isso!  Gratidão também aos amigos que vibram e comemoram junto cada conquista e aos novos amigos que chegaram com essa maratona. Aos meus pais, pelo suporte nas loucuras e curtição com as conquitas. E a Deus, infinitamente. 

Parabéns a todos que concluíram a prova ! Parabéns ao SESC PR pela excelente organização e acolhimento! Reconhecimento também ao trabalho da PRF, GM, Exercito e PM no percurso da prova. E também a equipe do Hotel Águas do Iguaçu pelo tratamento dispensado e educação de seus colaboradores.

Bons treinos e até a próxima!





25 de ago de 2015

Desafio de natação 8 km solo Bombinhas

Tirando o pó do blog com muita água...aliás, água e sal! Não tem combinação melhor!!
Mariscal/Bombinhas - Arquivo pessoal

No último domingo participei do 3.º desafio de natação de Bombinhas, também conhecido por Rally Aquático ou como carinhosamente minha mãe denominou: "segura na mão de Deus e vai".  E só na hora pude dar total razão ao termo... 

Láaaaaa trás, no sombreadinho atras do morro. Contorna e volta. 
Organizado e promovido pela Travessias Bombinhas, organização na qual tive o privilégio de estrear em águas abertas há mais de dez anos e que confio, a prova foi dura, desafiante porém maravilhosa. Quando o Teco falou isso ao microfone (que a ansiedade e o nervosismo eram grandes mas o percurso valeria a pena)  duvidei...hahahaha. Mas ele estava certíssimo.

Travessias Bombinhas
A prova de 8km tinha largada na praia da Conceição (Mariscal), contornava o morro , a ilha do Macuco e retornava para a praia. Fácil, mas não. O mar estava muito mexido, ondulação alta, sacolejando como um carro num rally, mesmo! Foi dificil se estabilizar e encaixar técnica no início. Depois que encaixou o ritmo não dava pra parar, nem para suplementar. Era vencer o mar aberto, as ondulações, se localizar pelo relevo natural (não tinha bóias!) e seguir a estratégia pensada para o percurso. 


Umas horas estava totalmente sem noção de distância percorrida e perguntei ao caiaqueiro se ja haviamos passado pela metade. Ele: "vixi, faz tempo. Não viu o barco?" Hahahaha, nada amigo..não vi nada...só via água! kkkkkk Contornando a Ilha do Macuco (que é linda! Vale mesmo a pena tirar a cabeça um pouquinho e olhar!), vinha o canal e o medinho de cruza-lo... Quem já ficou preso em canal sabe o sufoco que é...

Pousada PedraSalgada
Enfim, retornando a praia e a emoção que ja tomava conta ao levantar da água...impossível não chegar aos prantos depois de concluir esse desafio. 

Todo esforço, toda preparação haviam chegado ao fim. Tinha dado tudo certo e a energia da chegada me aguardava.

Chorei como não chorava há tempos...(é Drummond, consegui o tempinho para colocar o choro em dia!). Um abraço apertado (e molhado) na minha mãe que me aguardava e hora de comemorar. 




No final ainda rendeu um segundo lugar na categoria! 
Arquivo pessoal

Arquivo pessoal


Não foi fácil se preparar. Foi muito mais que motivação, foi disciplina, dedicação, abrir mão de muitas coisas, além do compromisso com quem me apoia, familia e comigo mesma. Tem dias que cansa, estressa, desgasta... Foram muitos sábados e domingos a tarde nadando sozinha no clube, muitas horas de almoço trocadas pelos treinos, compatibilizar os treinos de corrida e ciclismo junto, treinos executados a risca (todas as séries, intervalos, sequencias), investimento em material, viagem, alimentação, preparação física. Além de conciliar com muito volume de trabalho e algumas noites em claro. Mas como eu sempre digo, quando cruzamos o pórtico de chegada, tudo, absolutamente tudo, fica para trás! E vale a pena!


Encarar 8km de travessia em águas abertas foi um grande objetivo e a primeira parte da realização de um sonho de menina. Quando a vida te jogar pra baixo, pegue impulso e chegue ainda mais alto. São as dificuldades que forjam o guerreiro, que despertam o gigante em nós. Você só tem que saber aproveitar os momentos e jamais desistir. 



Arquivo pessoal

Gratidão imensa ao meu coach San Palma (CMTeam) que abraçou esse sonho e me preparou maravilhosamente bem para que o objetivo fosse cumprido. Sem dúvidas, sem uma preparação tão empenhada, de corpo e mente, não teria passado da arrebentação. Obrigada San e Carla por viverem essa preparação e essa prova comigo! Pelas palavras de motivação, as dicas, pela amizade!

Parabéns a Travessias Bombinhas, na pessoa do Teco, que organizou a prova. Fantástica, maravilhosa, um desafio para ficar na memória. Há mais de dez anos participo de provas em Bombinhas e sempre fica a vontade de voltar. Obrigada por mais essa oportunidade!

Agradecimento também a Pousada Pedra Salgada (não é jabá! Paguei tudo mas serviço bom a gente indica). Serviço impar, atendimento fantástico e local impecável. Além do carinho da gerente que foi prestigiar os hospedes-atletas na prova, café da manhã servido cedo e check-out late. 

Aos amigos e amigas que mandaram várias mensagens após a prova, minha gratidão infinita! Uma delícia receber tantas mensagens lindas e de coração!

Acima de tudo, aos meus pais que apoiam incondicionalmente e a Deus. Sem Ele nada, absolutamente NADA, é possível. 

Parabéns a todos os nadadores que finalizaram esse rally aquático!!

Beijos, abraços e até a próxima!


9 de ago de 2015

E a força vem da onde?

Domingo é um dia que me permito sair para treinar mais tarde. Enquanto tomava café da manhã e arrumava as coisas para pedalar, acompanhei a transmissão da natação do ParaPan. Coisa linda de se ver e que dá um tapa na cara de qualquer um de nós. Nadadores amputados nadando absurdamente mais rápidos que nós. Realmente deu um "up" e qualquer resquício de sono ou preguiça, tinham ficado para trás (assim como eu ficaria atrás deles na piscina...hahaha).

Eis que ouço chamarem, na próxima bateria, a Susana Schnardorf. Quem é das antigas vai lembrar dela no triathlon ainda. E para quem não conhece, segue um pouquinho da trajetória dela :


Gaúcha de Porto Alegre, Susana Schnarndorf Ribeiro teve seu estilo de vida voltado para o esporte. Sempre obstinada, decide que no triathlon - modalidade que combina natação, ciclismo e corrida - seu amor pelo esporte se completa. 

Talvez toda força usada para conquistar o título de pentacampeã brasileira, nas provas que aconteceram entre 1993 e 1997, disputar os Jogos Pan-Americanos de 1995, em Mar del Plata, na Argentina, e suas treze participações no Iron Man tenha sido a “obra do destino”, que iria ajudá-la na maior luta da sua vida.


Em 2005, foi acometida pelo Mal de Parkinson, uma doença degenerativa que aos poucos paralisa todos os movimentos do seu corpo. Para uma atleta de alta performance seria o fim. Mas, Susana encontrou na natação, um novo começo. 

“Nadar prolongam os meus dias de vida”, diz ela. E com esta garra Susana, consagrou-se em 2013, a melhor atleta paralímpica do Brasil pelo Comitê Paralímipico Brasileiro- CPB.

Fiquei com a imagem dos minutos da prova dela o tempo todo no meu treino hoje. É incrível o que a força de vontade é capaz de fazer com o ser humano... Susana tem 13 Irons nas costas, panamericano, meio irons e outras provas de triathlon. Após se tornar para-atleta, cumulou muitos outros títulos na natação (se quiser saber mais, dá uma olhadinha no site dela  aqui)


Não bastasse eu passar o dia com toda essa reflexão, meu treinador San Palma, da CMTeam, como é hábito junto com a planilha da semana, enviou uma frase para motivar e inspirar. Dessa vez era da Susana... Não, ele não sabia de nada e acredito que quando há sintonia entre pessoas do bem e que comungam os mesmos objetivos, nada acontece por acaso. Fiquei alguns segundos, lendo, relendo, absorvendo:

"A nossa força não está nos braços ou nas pernas, mas sim no coração."

Sem dúvidas, é importante treinar. Sem um treino periodizado e preparado adequadamente para você, não há resultado. Mas fazer o que gosta e dar o máximo de si é condição "sine qua non" para que o resultado aconteça. O sucesso está no fazer o que se gosta, colocar paixão nas suas escolhas e estar bem orientado. 

Às vezes estamos meio preocupados, com problemas pessoais ou profissionais, deixamos que coisas pequenas invadam nosso equílibrio e sabotem nossos planos. Quantas vezes não demos valor exagerado ao que não agregava? Ou acabamos atraindo algo negativo de tanto pensar nisso? O pensamento exerce uma força imensa sobre nós...

A exemplo de Susana, use essa força para te levar mais além. Às vezes pode ser incômodo e perturbador sair dessa zona de conforto, mas vale a pena. Quando realmente se quer, vale muito a pena! 

Boa semana e bons treinos!

15 de mai de 2015

As somas: amores e dores

 Certa vez li algo na internet que falava sobre a “soma de todos os amores”. Era um poema, uma passagem, não me recordo. Vinicius de Moraes já falava que o amor verdadeiro é a soma de todos os amores, inclusive do amor ao seu semelhante.

Buzzfeed.com
Pois bem, isso está há dias na minha cabeça e não posso deixar de fazer uma analogia a nossa vida esportiva, seja triathlon ou corrida. Quando escolhemos um desafio – seja uma prova difícil, uma distância maior, um tempo mais baixo – empregamos toda nossa disciplina e determinação para alcançar aquela meta. Às vezes o tempo de preparação é longo, pode ser um ano, seis meses, talvez menos...mas serão semanas e semanas de abdicação e concentração.

Nesse ínterim da preparação muitas coisas acontecem: amores acabam, relacionamentos são rompidos, empregos que mudam (ou extinguem), mudança de cidade, problemas de família, saúde... enfim, há uma série de hipóteses que não são conjecturadas na tese inicial, isto é, quando nos inscrevemos em determinada prova. Mas elas acontecem e temos que lidar com isso, queiramos ou não.

E elas vão se acumulando sem que percebamos. O chefe que não ajuda, as contas que vieram mais altas, o filho que não obedece, a esposa que não compreende (ou vice-versa) e as tão temidas lesões! Ah, essas são o pesadelo para qualquer atleta, seja amador ou profissional. Trata-se, recupera-se e segue novamente. Até a próxima.

Quando percebemos, na reta final de uma preparação (ou no polimento) carregamos conosco a soma de todas as dores: físicas, mentais, emocionais. Fazer aquela prova é como deixar para trás todo o sofrimento, findar um ciclo, extravasar aquela fase de provações. E cruzar o pórtico é a libertação extrema, ou o resultado de toda aquela soma: que somos mais fortes do que imaginamos.

Arquivo pessoal
Ao cruzar o pórtico do meu IronMan, deixei para trás uma fase bem pesada da minha vida mas mal sabia que outra maior estava por vir. Porém, o ato simbólico de “sofrer” durante uma prova para qual me preparei por meses, de dar o meu melhor e realizar um sonho, serviu de marco para encerrar um ciclo. Um ciclo de muitas dores e, ao mesmo tempo, realizações. Porque toda dor traz consigo uma lição.


E assim carregamos, em cada desafio a que nos propomos, essa soma de dores. Mas são dores verdadeiras, como diria Moraes a respeito dos amores. São dores que vivenciamos diariamente, que a vida nos impõe, que está viva em nós, que se relaciona com outras pessoas. São dores que nosso coração no traz, que nossa mente cria e que nosso corpo sofre, mas que estão ali naquela avalanche de aprendizados e experiências que nos tornam humanos.

Espero que a cada ciclo saibamos reconhecer cada dor e junta-las para que, no final, a sua soma possa ser reduzida a nada, quando deixar para trás tudo que carregou consigo para chegar ali. Que ciclos comecem, findem, comecem novos outra vez. E que a cada um, saibamos contemplar o aprendizado e ter gratidão pelas vivências e oportunidades. A dor é um pouco amor e o amor também é um pouco dor, caro Vinicius. Porém que sejam verdadeiros, como você diz, pois então a somatória valerá a pena.


18 de fev de 2015

AS CORRIDAS NOTURNAS DA UNIMED


E lá se vão 11 anos correndo a noite pelas ruas de Curitiba!!! 
ONZE ANOS?? É isso aí!!! 

Medalhas de algumas edições
Arquivo pessoal
Lembro-me como se fosse hoje da primeira corrida noturna em 2004...

 As plaquinhas nos postes da Av João Gualberto e da Rua Luiz Leão, por onde passava o percurso na época, anunciando a novidade na cidade: corrida em um sábado a noite! A largada era na sede na Unimed Curitiba na Rua Itupava, Alto da XV, e percorria 10km na região.

O que eu pensei logo de cara foi: "corrida a noite em Curitiba...será que vai dar certo??".  Não, não deu certo. Deu SUPER CERTO. ÓTIMO, aliás!



Cada edição da qual participei foi maravilhosa e deixou boas recordações - correr com
amigos, correr pelos amigos (lembram desse post?) , na chuva, no frio, no calor. A energia positiva dessa prova sempre contagia e faz querer voltar. 

Nessa edição, o tema "Run For Fun" será mantido. Por que? Oras, correr por diversão!! A Unimed Curitiba reafirma o compromisso em incentivar a adoção de hábitos saudáveis à rotina das pessoas, de maneira leve e descontraída mas sem esquecer o compromisso consigo mesmo de manter a qualidade de vida em alta e a saúde em dia. 

Além disso, a Unimed Curitiba, uma cooperativa médica fundada há 43 anos e com mais de 4.200 médicos e quase 600 mil beneficiários,  é a maior apoiadora de corridas de rua da capital paranaense, patrocinando e incentivando a participação da população em dezenas de provas ao longo do ano. Só a Corrida Noturna já reuniu mais de 35 mil corredores durante a sua trajetória.

Na 11.ª edição, a Unimed Curitiba traz um mascote para ilustrar o evento: a capivara!! Sim, ela que acompanha de longe o treino de tantos atletas nos parques da capital e região metropolitana, irá sair da sua passividade e irá correr, justamente para mostrar a importância da atividade física para a qualidade de vida.

Arquivo pessoal - ed 2007
E não precisamos nem numerar os benefícios da corrida não é? Melhora condicionamento, fortalece músculos e ossos, mantém o metabolismo equilibrado além de garantir uma melhor qualidade de sono.  Sem contar aquela sensação de bem-estar e endorfina liberada pós- prova!! Sendo a noite então, clima ameno e agradável que favorecem mais ainda!!

Participo das provas da Unimed Curitiba desde o início... estrutura, organização e astral que contagia do início ao fim, sem contar a possibilidade de correr em um sábado a noite pelas ruas da cidade, com apoio, segurança e muita energia.  Porque é assim...no que é bom, a gente sempre volta! Bora?

Dá uma olhadinha na edição passada   e veja porquê não dá pra perder!! Youtube 

Confirme sua presença no evento pelo Facebook e acompanhe as atualizações sobre a prova: 

Informações:
5 e 10km
Data: 14 de março - sábado
Horário: 19h30
Local: Universidade Positivo (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300).


Inscrições (até 09/03)
Público em geral -> R$ 77,50
Clientes Unimed -> R$ 42,50
*Neste ano, o pagamento também pode ser feito com cartão de crédito!!



Post em parceria com a Corridas Unimed.