1 de ago de 2013

Naventura + Ilha do Mel - quero + !!

Olá pessoal,

Na semana que passou completei 10 anos de participação em provas de corrida. Foi lá num dia 25 de julho de 2003 que fiz minha primeira corrida – 10km – em um Circuito da Prefeitura de Curitiba. E desde então não parei mais.

Finisher Corrida Sest/Senat 2003
                                                       
Esse ano tive que abrir mão de muitas provas e mudar os planos algumas vezes. Em razão de uma lesão chata no ombro e cervical, tive que me afastar do ciclismo e da natação, e também não podia abusar da corrida. Mas depois de todo o tratamento e liberação, nada como comemorar em grande estilo: Naventura + Ilha do Mel  25km!

Pra quem não conhece a Ilha do Mel:

" A ilha do Mel é um ponto turístico de muita importância no estado do Paraná. Muitas pessoas consideram que a ilha tem as melhores praias do estado. A ilha, fazendo parte do município de Paranaguá/PR, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e possui um restrito programa de manejo. Não é permitida a tração animal ou a motor na ilha. Existem muitas áreas onde não é permitida a presença de visitantes.
Situa-se a 15 milhas do Porto de Paranaguá, tendo seu ponto mais próximo do continente a 4 km de Pontal do Sul, no município de Pontal do Paraná, litoral do estado do Paraná. São 2585 hectares de área composta por sistemas de restinga e Floresta Atlântica protegidas e destinadas exclusivamente à preservação integral da flora e da fauna, de um total de 2762 hectares (35 km de perímetro). Sua estação ecológica, com 2240 hectares, tem o objetivo de preservar o meio-ambiente e é vetada a entrada . Na Reserva Natural, com 345 hectares, é admitida a existência de trilhas, desde que não afetem a paisagem. Já, a Zona de Ocupação tem 120 hectares.
Há cem mil anos, o nível do mar estava aproximadamente a 120 metros acima do atual. Nesta época, os morros da Ilha formavam um arquipélago. De lá para cá, o mar recuou e avançou várias vezes. Essa sucessão de eventos formou a Ilha do Mel como é vista hoje, com formação de terraços, cordões litorâneos e dunas. A areia marrom que se observa nas praias do Farol e de Nova Brasília tem cinco mil anos e sua coloração deve-se à presença de matéria orgânica. O ponto mais alto da Ilha do Mel localiza-se no Morro do Miguel (Morro Bento Alves), com 151 metros." 


Eu, Ivanir e Tânia
Nossa aventura começou ainda na 6.ª feira, um dia extremamente frio (na 3.ª feira havia "nevado" em Curitiba e nos dias subsequentes geado) mas que foi esquentando com a animação e parceria das meninas da equipe V8 Assessoria Esportiva !!

Pra quem não sabe, para chegar a Ilha do Mel, tem-se que pegar a BR 277 - litoral, seguir até Pontal do Paraná e então pegar a barca (Essa é a barca para a Ilha do Mel ... - quem é daqui já ouviu Djambi! Se não é, pode ouvir aqui!) e 25min você estará no destino fantástico - no nosso caso, Encantadas! 


Trapiche Praia de Encantadas 
A Ilha tem uma estrutura muito bacana. Há anos não ia para lá e, confesso, me surpreendi com tantas coisas. Várias pousadas bacanas, restaurantes bons, mercadinhos e sinal de celular e internet 3G (a minha TIM pelo menos tava muito boa!!). Esperava ficar desconectada nesse final de semana, mas a tecnologia chega em todos os lugares...

Bom, quanto a prova... 
As distâncias eram 25km, 14km e 6km. E em todas elas os corredores teriam um contato intenso com a natureza, ladeado por paisagens belíssimas (veja os percursos aqui ). Eu, como adoro distância e com a anuência do meu treinador, Prof. Vitor Bertoli Nascimento, fui para os 25km. 

Percurso e altimetria 25km

Sábado de sol, temperatura agradável (qualquer coisa acima de 10C seria ótimo depois daquela semana) pouco vento: combinação perfeita! Todo mundo em uma energia maravilhosa, astral lá em cima e prontos para respeitar e aproveitar a prova, como deve ser. Sempre, respeitar a prova e a natureza. O resto vem.

Equipe - foto: Natacha Fischer

Só as guerreiras!! Foto: Natacha Fischer

Os doidos dos 25km - Foto: Natacha Fischer
Largada dada e partimos para uma das provas mais lindas e gratificantes que fiz na minha vida. Em termos de trail running posso dizer que encostou com o Praias & Trilhas - quesito beleza e percurso. Eu amo a mistura de praias, areia, trilha técnica, trilha leve, morros, então, para mim foi perfeita.

Logo no início tivemos que encarar um costão (e quem me conhece sabe que é a parte que menos gosto mas que já me rendeu uma bela amizade então "há males que vem para o bem") e logo em seguida um morro bem legal com direito a lama e corda para subir... Ali já dava para perceber o que nos aguardava...hehehe...

No decorrer do percurso passamos por praias e trilhas mais fechadas (o que dava um refresco com sombras), subimos o morro do Farol (lindo) e seguimos até a Fortaleza. Aqui vale a pena um pit stop rapidinho para contemplar a paisagem e toda a beleza histórica. Eu ainda tive o privilégio de ser entrevistada pelo amigo e corredor Tony Tows, mas infelizmente não consegui o vídeo até a publicação desse post, então fica apenas a foto registrada pelo Prof. Willian Meirelles:


                                     

Cada pedacinho dessa prova foi incrível. Paisagens lindas, visual maravilhoso, nível de "dificuldade" estrategicamente preparado e uma energia maravilhosa. Não podia deixar de agradecer por fazer parte daquele momento. Escorregões, mãos espetadas, fendas nas pedras apertadíssimas, sobe e desce...tudo isso é compensado. E no meus km's finais ainda ouvi de um nativo na trilha: 
"tá há quanto tempo correndo, moça?"
"2h30"
"nossa, como vc tá bem...achei que tava correndo há menos de uma hora..."

Valeu cara, o ego subiu e ajudou dar "aquela" guinada!!

A dificuldade em provas assim é dosar. Embora saiba o que espera, temos que saber quando acelerar, segurar, quando hidratar e suplementar. Felizmente, acertei em cheio e poderia ter socado mais. Fiquei com medo, em razão da recuperação das lesões e preferi segurar do que quebrar, ter nova lesão e me frustrar mais ainda. 

Eu sei que alguns corredores tiveram problemas na prova, principalmente em relação a localização e pegar trilhas erradas. Não sei porquê ou como aconteceu. Acho que essa foi uma vantagem em largar mais atrás e permanecer no pelotão mediano...consegui ver todas as fitas de marcação, postos de água e todos os staffs indicaram corretamente o sentido.  Somos todos seres humanos, falhas ocorrem, mas no que me pertine posso dizer que foi uma excelente prova. 

Terminei bem, sem dores, bolhas, unhas machucadas ou fraqueza. Para mim foi a melhor comemoração por uma década de dedicação ao esporte. De quebra ganhei um troféu, 1.ª na categoria 30-34 e 13.ª no geral e abaixo do que eu imaginava fazer. Não tá bom, tá ótimo. Só faltou a foto do troféu - ainda não o peguei.


Medalha de Finisher 

Provas trails tem um "plus" que as provas de asfalto não tem, além da paisagem: o companheirismo. Corredores se ajudam mutuamente, apoiam, incentivam. Tenho grandes amigos que fiz em provas assim e nesta tive a oportunidade de fazer novas amizades. São presentes que ganhamos e que tornam o esporte ainda mais prazeroso.

Obrigada a todos que fizeram parte desse dia maravilhoso - principalmente amigos (novos e de longa data), galera da V8 Assessoria Esportiva (não vou nominar todos porque posso esquecer alguém), Prof. Vitor pela preparação e a Naventura (Kleber e Nicole) pela oportunidade. 

Parabéns Naventura Mkt, Esportes e Turismo pela organização e estrutura. 

Parabéns a todos os guerreiros, independente da distância percorrida!!! 

Em 2014 estarei lá novamente!!!