31 de ago de 2012

3.ª etapa Paranaense de Cross Country



No último sábado, 25 de agosto, aconteceu a 3.ª etapa do Circuito Paranaense de Corrida Cross Country, promovido pela Naventura Marketing, Esportes e Turismo, na cidade de Campo Magro/PR.
Campo Magro está situada na região metropolitana de Curitiba, sendo seu acesso pela Rodovia do Cerne, prolongamento da Manoel Ribas. Para chegar ao local da prova, o empenho já é necessário, mas como disse minha mãe: "as paisagens do percurso são a recompensa pela dificuldade em chegar." Ok, a dificuldade: a largada e chegada da prova era no Gramados do Palha, na base do Morro do Palha (conhecido por ser um dos melhores pontos para vôo de parapente), distantes 12km da rodovia do Cerne, por estrada de chão, como muito mas muito poeirão, pedras soltas, movimento de carros e motociclistas, além de estreita e com curvas fechadas. Ok. Vale muito a pena o esforço!!!



A largada se  deu as 16h, mas a concentração já se iniciou as 14h. Um lugar lindo, de energia contagiante. E segui para a retirada de kits...
Sempre com minha mãe, fiel escudeira e parceira de provas e aventuras.

As provas cross country da Naventura são conhecidas pelo grau de dificuldade, percurso fortes mas de paisagens incomparáveis e memoráveis. Os 12km foram em estradas não pavimentas, com muitos sobe-e-desce...aliás, mais sobes do que desces..rs Pra ser ter uma ideia, olha só a altimetria da brincadeira:

Altimetria da prova

Mas nada é mais recompensador do que correr em meio a natureza, passando por nascentes de rios, riachos de águas cristalinas, casas antigas e de madeira com as crianças na frente sorrindo e acenando, poder ver, a cada curva, o sol e o céu azul, por ângulos diferentes. Sempre acreditei que em momentos assim ficamos mais próximos de Deus...é onde o pensamento fica solto...livre... e nós totalmente integrados a natureza.
A cada 3km tínhamos postos de hidratação, com água geladinha, sempre com staffs bem humorados e atenciosos. Confesso que naquela secura, cada copo d'água era mais do que bem vindo. Estrada de pó, pedras soltas, todo cuidado era pouco...mas a emoção é o que nos move, é o que nos faz sair do asfalto e curtir novos desafios. Foi uma prova dificil. Aliás todas sempre são. Aprendi a respeitar cada prova, seja a distância que for. Subidas fortes, ar seco, poeira, pedras...mas que quando cruzamos o pórtico de chegada fazem ser meros detalhes.



Acabei conseguindo o 2.º lugar geral da prova, o que me deixou extremamente feliz por estar seguindo o caminho certo na recuperação da minha lesão na coluna, do Ironman. Devido ao volume de treinos, esforço que posso fazer, o treino de bike que já tinha feito pela manhã (60km) e um percurso pesado, confesso que foi mais cabeça do que pernas, mas pude confirmar, como sempre, meu técnico Alexandre Perdão sabe o que faz.
Quis chorar na chegada mas engoli o choro, afinal era um dia para ser comemorado com muita alegria!!!


Confesso que adoro as provas da Naventura porque permitem que conheçamos cidades da região metropolitana, em especial a zona rural destes municípios, e que normalmente não iríamos, mesmo estando perto e mesmo sendo pequenos paraísos. Eu já tinha esta opinião e ouvi de vários atletas nas provas, também. Além de nos possibilitar esse turismo, A Naventura consegue explorar municípios, tornando-os conhecidos, fomentando o turismo e comércio local.  Todos ganham.

Parabéns à Naventura (e Kleber Pacheco) por mais uma prova excepcional. Sempre com respeito ao atleta, prezando pela marcação correta de tempo, troféus bacanas, água no percurso e uma farta mesa de frutas na chegada. Staffs sempre prestativos, bem humorados e de super boa vontade! ( Naventura )
Parabéns também à fotógrafa Karin Christina, pelas fotos maravilhosas ( Fotos do evento ).
Obrigada Kleber Pacheco pelo convite e parceria.
Obrigada ao meu médico, Dr. Ed Zanineli, que me deixou em condições de voltar a treinar forte (mesmo me colocando freio o tempo todo da minha recuperação..rs) e competir novamente do jeito que eu gosto.
Obrigada ao meu técnico, Alexandre Perdão, a quem parte desse troféu pertence.
E, claro, obrigada Deus, por uma prova fantástica em um dia de sol perfeito.



Um comentário:

  1. Parabéns! Belo relato. Deu vontade de participar.

    Até o fim do ano deve ter mais uma etapa, quem sabe eu consiga.

    ResponderExcluir