29 de mai de 2012

IRONMAN BRASIL 2012 - pré prova


O n.º 12 tem um significado importante para mim: é o dia do meu aniversário. Fazer o Ironman em 2012, sua 12.ª edição e dedicar 12 meses na sua preparação, não foi proposital, mas aquelas coincidências que o destino insiste em pregar.
Nesse um ano muita coisa aconteceu.  Minha vida pessoal e profissional passaram por muitas mudanças, boas e ruins, previstas e imprevistas mas que tinha que passar. São experiências que Deus nos coloca a prova, num certo momento sem muita razão, mas depois que passamos entendemos o porque de tais obstáculos.
Meus treinos estavam a contento até o início de fevereiro, quando tive um problema pessoal muito grande, que me desestruturou por semanas. Aliado a ele veio minha mudança para Brasília para fazer meu doutorado. Com tudo fugindo do planejado e eu tendo que me reestruturar rapidamente e me readequar a uma nova situação, inclusive financeira, meus treinos foram seriamente prejudicados. Fiquei 1 mês sem pedalar e 2 semanas sem nadar. Correr era a única modalidade que conseguia cumprir. Na Páscoa, quando voltei a Curitiba visitar pais e amigos, tinha decidido desistir do Ironman e pedir o reembolso de 50% da inscrição. Meus pais não deixaram e meus amigos e treinador me motivaram a fazer. Então tá, vamos lá...ver no que vai dar...
No último mês me empenhei ao máximo. Fiz todos os pedais longos e os longões de corrida. A natação ficou a descontento pois meus horários de trabalho e estudo impediam de ir nadar com o pessoal da Evolua Multisports, em Brasília.
Enfim, chegou a semana do Ironman e fui a Curitiba passar uns dias com a família e depois seguir a Florianópolis. Confesso que na aventura para descer a serra com aquela chuva torrencial, repensei se não voltava embora. Estava aflita pela natação. Sempre disse: “se me virem saindo da água, aí sim meu iron começa”.
Na 6.ª feira, quando fui retirar meu kit, já senti aquele super clima de ironman. Impossível não se contagiar. Ali meu astral subiu e pensei: “agora vou até o fim nessa prova.” Super bem instalada, o dono do hotel onde estava tinha uma preocupação inigualável pelos triatletas, me senti muito bem.
No sábado, desço para o café da manhã e encontro minha colega de equipe Iracema e família. Muito bom relembrar velhas história e depois fazer um treininho de bike pela SC 401 com ela foi bem bacana. Em Canasvieiras, só Irons treinando..seja natação, bike ou corrida. Inclusive, na passagem por uns andarilhos que já tinham bebido várias, eles rapidamente levantaram e gritaram: “É IRONMAN” – me acabei de rir. Depois uma soltadinha no mar de canasvieiras e segui para o check in da bike.
Antes uma passadinha na expo para encontrar os amigos e mandar arrumar o pneu da bike com os rapazes da Kona Bikes – sim, o pedalzinho da manhã me rendeu um caco de vidro no pneu.
Bike entregue, mais blá blá blá com amigos e depois o papo final com o coach Alexandre Perdão. Nada como conversar com o treinador... e depois o astral dos colegas de equipe (com direito a água benta né Marcelo Bronze???).
Enfim, hotel...jantar...arrumar as ultimas coisas...e dormir.



2 comentários:

  1. Um ano de preparação exclusiva!? Ainda por cima fazendo Doutorado e com problemas pessoais!
    É preciso muita determinação mesmo. Parabéns por ter concluído.

    ResponderExcluir
  2. Que legal esse apoio da sua família, hein!?
    Vendo todas as perengas que você passou, e saber que ainda tenho mais dois posts para ler já é algo emocionante.
    Vamos lá, deixa eu continuar a ler...

    ResponderExcluir