21 de jan de 2012

Campeã Trilhas Parque Anibal Khury


Pessoal,

Hoje participei da 2.ª corrida Trilhas do Parque Aníbal Khury, em Almirante Tamandaré/PR, promovida pela "Amigos da Natureza".

Pelo que constava seriam 10km em trilhas, 'com uns morros'. Adoro trilhas e subidas, então fui feliz da vida para a primeira prova do ano.
A aventura já foi chegar até o parque. Almirante Tamandaré com obras sem avisos fez com que muitos de nós enfrentasse alguns obstáculos, como degraus de concreto em plena avenida principal. Enfim, seguindo para o parque, veio a segunda aventura: chegar ao estacionamento. Pedras soltas, subidas íngremes e carros derrapando. Pensei: se isso é pra chegar de carro, o que será o percurso?
Mas pra quem já fez Praias &Trilhas e provas da Naventura, nada a temer no quesito dificuldade! Let's go!
Os primeiros 2km's da prova, tranquilo. Saibro solto, descida, mas tranquilo de correr. De repente a primeira de muitas subidas...aqui todos corriam (ainda). depois outra subida, e outra e outra...Pensei: "subir montanha é tranquilo, quero ver na hora de descer" hahaha.. Não deu outra. Em algumas single tracks, afunilava e fila se formava.
No meio do mato, naquelas  trilhas difíceis você perde a noção de km... O que eu fazia era correr..do jeito que dava. Algumas subidas que muitos se agarravam em árvores, galhos ou simplesmente paravam, a unica alternativa era seguir.
Mas confesso que, embora difícil, o prazer de estar em meio a natureza, curtindo toda energia que ela emana, compensa qualquer dificuldade... Nada melhor pra revigorar!

Para minha felicidade, consegui o primeiro lugar e fui CAMPEÃ GERAL da prova. Sofrido, técnico, cansativo mas bom demais. Recompensa dos treinos pesados das últimas semanas (valeu coach Alexandre Perdão, pode judiar mais!!)
Parabéns a todos que concluíram!! Bom rever os amigos também!!

Abraços e bons treinos!

Resultado pós-prova: mato até no tênis!

16 de jan de 2012

E quando os candidatos não sabem nem o que fazer com a bicicleta?

Pessoal, o post ficou longo mas foi necessário. Abraços!

Em uma matéria publicada no dia 14/01, no jornal Gazeta do Povo,  pode-se perceber que os candidatos a Prefeitura de Curitiba estão completamente perdidos em relação ao tema: "bicicleta e ciclofaixas". 
Com discursos prontos, superficiais e generalizados, é possível vislumbrar que nem os candidatos, tão pouco seus assessores, tem a real dimensão do que o tema significa.

Dada a polêmica da ciclo-faixa e as famigeradas obras para a Copa do Mundo de 2014 na cidade modelo, os pré-candidatos à Prefeitura de Curitiba foram questionados a respeito do tema. E eis o festival de surrealismo, que seria uma ofensa ao ciclistas, não fosse tão hilariante (para ver na íntegra, segue o link no final do post):
 Angelo Vanhoni (PT): Pergunta: E como definir Curitiba?
"(...) Não apenas na integração de políticas para o desenvolvimento urbano, mas também no que diz respeito ao projeto de cidade para consolidação do futuro. (...)"
Não tratou da bicicleta. E um discurso vazio sobre mobilidade: "Projeto de cidade para consolidação do futuro?" Faltou conteúdo e opinião formada. O famoso "encher linguiça".

● Dr. Rosinha (PT)Pergunta: O senhor estaria disposto a colocar ciclofaixas em toda a cidade?  "Ou faço a faixa [exclusiva para ciclista], ou educo todos os motoristas. "
Estamos falando de realidade. Educar os motoristas é algo como encontrar o Elo Perdido. Utopia. Vamos à ações práticas. Ou então, por que não educar E fazer a ciclofaixas?
● Fabio Camargo (PTB)Pergunta: É possível fazer ciclofaixas em toda a cidade? "Não só é possível, é preciso."
Sim, é senso comum. Mas como? Qual o planejamento? E se é tão fácil, por que nunca houve iniciativa enquanto vereador ou deputado? Só em épocas de campanha p/a Prefeitura é fácil.
● Gustavo Fruet (PDT):Pergunta: O senhor estaria disposto a ampliar as ciclofaixas? "Ampliar o máximo possível."
Resposta aberta, superficial. A impressão que tenho que ampliar ciclofaixa é fácil. E se é, por que nunca foi feito? 
● Rafael Greca (PMDB)Pergunta: E o que o senhor traria de outras cidades para Curitiba? "A tradição cultural de Roma, a mobilidade de Paris, a animação de Nova York e a alegria do Rio de Janeiro."
Hahahahah. Imaginem o povo curitibano, fechado, antissocial, encasacados até a alma MAS rebolando até o chão??? 
● Ratinho Junior (PSC): Pergunta: Dentro desse planejamento pa­­ra a mobilidade, o senhor já pen­­sa em algo? "O metrô é para alguns eixos es­­tru­­turantes. Acho que Curitiba tem que começar a se voltar para (...) alguma coisa voltada para trilhos, talvez bonde elétrico, como já é usado em algumas cidades da Europa. Com energia limpa, não poluente. E obviamente ampliar áreas de ciclovias e fazer com que isso seja uma alternativa de transporte."
É metrô assim, metrô assado. CHEGA DE METRÔ!! Alternativas menos custosas e mais práticas, pode ser? Ah sim, mais um que vai ampliar as ciclovias. 
● Renata Bueno (PPS)Pergunta: O que pode ser feito para melhorar o trânsito da cidade? "Dar acesso a ciclovias e ter boas calçadas para que as pessoas possam caminhar. A mobilidade urbana integra tudo que se move e acaba acoplando muito a questão da sustentabilidade. Esses são dois eixos importantíssimos."
"Mobilidade urbana integra tudo que se move" - Mesmo?? Seria devido ao vocábulo MOBIL = móvel? Ok, contribui sim para a sustentabilidade. É o que vemos em matérias em jornais e revistas há anos.
Pergunta: Estaria disposta a ampliar as ciclofaixas? "Com certeza. Essa coisa de ter horários para as ciclovias, isso não existe."Mais uma que vai ampliar. Se é tão fácil, eu reitero: POR QUE AINDA NÃO FOI FEITA??? Cadê a iniciativa da Câmara dos Vereadores?????
● Tadeu Veneri (PT): Pergunta: Estaria disposto a ampliar as ciclofaixas? "Não é lógico que uma cidade que tem quase 2 milhões de habitantes use todas as suas vias ou 99% delas com estacionamentos para carros. Se você tem estacionamento dos dois lados da via, por que você não pode ter estacionamento em um dos lados e do outro ter espaço para a bicicleta? "
Pois é, e por que não implantar isso em várias cidades do Paraná? 
● Luciano Ducci (PSB): "Prefeito não quis dar entrevista" No site oficial da Prefeitura, entretanto, a bicicleta tem feito parte dos discursos de Ducci, que recentemente declarou:
“Temos toda a simpatia à causa da bicicleta. Vamos debater de forma conjunta os projetos de interesse da sociedade, para melhorar cada vez mais a relação da cidade com os ciclistas”. Em outra ocasião, o prefeito afirmou: "Acreditamos na bicicleta como um meio de transporte sustentável".
"simpatia à causa da bicicleta"??? Foi a melhor pra encerrar a matéria. Sem mais.

É isso pessoal. Pensem bem antes de escolher seus candidatos. Se não sabem articular nem sobre bicicleta como modal de transporte, será que saberão demandar corretamente sobre saúde, educação, segurança?
E sim, CHEGA de querer importar modelos prontos. Vamos desenvolver modelos e políticas públicas voltados às necessidades locais. É defasado isso de copiar cidades europeias. É comprovado que, atualmente, não traz os resultados esperados.



http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/index.phtml?id=1212824&com=1#comentario

4 de jan de 2012

Por que faço provas de endurance?

Pessoal,

Para iniciarmos o ano de 2012, nada mais propício do que uma reflexão. Mas não sobre as provas de 2011, até porque não gosto de retrospectivas. O que tinha que ser aprendido, já o foi. Então, seguir em frente!

Hoje estava conversando com um amigo ultramaratonista, Anderson Cerceau, sobre provas longas, em especial ultramaratonas. Estratégias, dicas, logística, equipamentos. E durante a 'conversa de doido' fui fazendo um flashback das provas longas (meio irons e maratonas) que já fiz e me perguntando de onde veio essa vontade de fazer provas de endurance. 
SUPERAÇÃO PESSOAL foi a primeira resposta. TESTAR LIMITES, a seguinte. Mas a principal foi ME CONHECER DE TODAS AS FORMAS.

As provas longas, seja corrida ou triathlon, proporcionam uma capacidade imensurável de auto-conhecimento. E isso já começa com os treinos. Você aprende a se conhecer e ver até onde vai sua disciplina e seus limites. cada treino você os ultrapassa um pouco mais e percebe que isso é possível. Percebe também que a disciplina espartana não é um bicho de sete cabeças e que, com o tempo, acostumamos tanto a acordar ainda escuro pra ir correr, a trocar o almoço pelo treino de natação e a treinar bike indoor enquanto vizinhos já dormem, que tudo isso é natural. Embora ninguém fora do meio entenda, pra você é normal.
Os treinos pesados também ensinam a aumentar o seu limiar de dor. A sua percepção de dor acaba se alterando e não é mais qualquer coisa que o incomoda. Isso é ser forte? Talvez. Mas para administrar a dor, é a mente quem tem que estar treinada. 

Com as provas de endurance, aprendi a conhecer desde o fio do meu cabelo até as unhas do meu pé (essas mais ainda). A percepção corporal e mental é incrível. Acho que nenhuma técnica, filosofia, religião, é capaz de prover ao ser humano tamanho auto conhecimento. Aumenta a concentração, o raciocínio, aguça os sentidos, e te ensina a ter muita paciência e perseverança.
Voltando a primeira resposta, superação pessoal, acredito que você vencer seus medos e conhecer sua real capacidade é algo fantástico. Uma vez meu, no ápice dos treinos longos, meu treinador falou: "pronto Vivi, vc tem base p/encarar qualquer desafio. É só escolher." Ou seja, superei meus medos e ultrapassei minhas barreiras pessoais.

Independente se corrida ou triathlon, nada se compara a oportunidade que esses esportes nos dão de conhecimento corporal e mental, de melhorar o espírito, desenvolver a solidariedade, a paciência e a perseverança. Além da consciência de que podemos ir sempre além, em busca de nossos objetivos.  Sem contar o visual e a paisagem que muitas provas nos proporcionam. Não como dizer um só motivo que me faz correr endurance, é o todo o conjunto o meu combustível!

Bons treinos em 2012!