29 de mar de 2011

A PROVA

A PROVA Acordei 5h45, me arrumei, tomei o café da manhã e segui rumo a largada que ficava 5,5km do Hotel Conrad e do “agito” Punta. A prova seria na Praia Mansa, parada 26, quase Maldonado. Fui pedalando até lá, com a mochila nas costas, pela “Rambla” que margeia a praia mansa. Visual lindo e inspirador. Manhã fria mas de céu azul e sol. Perfeito! Porém fui me aproximando do local da largada e o vento começou a ficar forte (meu Deus, como venta naquele lugar!!!), extremamente forte. Cheguei na transição (parque cerrado)e fui informada que o triathlon havia sido transformado em duathlon terrestre porque a Prefeitura e os órgãos competentes não haviam liberado o mar, em razão do vento forte, fortes correntezas e marolas. O vento naquele dia foi o mais forte em 8 anos.Vento sul-sudeste, difícil de acontecer nessa época, segundo eles. Olhando para o mar, dava pra se ver que havia muitas marolas e que o mar puxava para o oeste, mas ondas fortes não tinham. Enfim, como corro melhor que nado, não foi de tanto ruim. Acredito que o importante é a segurança dos atletas. Se for pra se machucar, colocar em risco ou sofrer demais, melhor mesmo cortar. Lastimei um pouco porque estava doida pra entrar naquele mar azul e maravilhoso, mas, enfim, triathlon é assim. Montei minha transição e me preparei para a largada. Muito frio (12C), vento forte e pessoal motivado. Na primeira corrida (agora seriam 5.250m de corrida/90km de ciclismo/21km corrida) fui muito bem. Parti pro pedal..5 voltas de 16km e pco..A primeira volta foi bacana..só demorei pra encaixar ritmo na bike, porque “flutuava” muito com o vento.O percurso da bike era absurdamente forte.Começamos em um falso plano, mas logo pegamos os descampados com o vento direto do mar..ventos muito fortes. A primeira subida era moderada-forte, subimos um morro, de onde era possível ter uma vista fantástica de Punta. E já na sequência vinha o famoso e alto Morro Punta Ballenas. Quem já fez o GPI conhece a Subida da Rainha..mantenha a altura e prolongue a extensão, juntamente com uma curva.Pronto: é o Punta Ballenas!A vista do alto é magnífica.Vê-se Punta, Maldonado e Piriápolis.Na época de migração das baleias é dali que se pode vê-las.A descida era a melhor parte, porém com o vento forte, era difícil passar dos 60km/h na descida. Mas pior era subir novamente e voltar todo o percurso com o vento contra (pra mim ventava de todas as direções..era a prova toda segurando forte a bike). E seriam 5 voltas assim..cabeça, cabeça, cabeça e muita perna! Na volta da 3.ª, em uma reta, parei de girar para poder me acomodar melhor no selim e esticar perna..e a bike simplesmente travou!O vento era tão forte, que se não pedalasse, não saía do lugar!! Incrível! Na 4.ª volta do pedal eu já tava meio saturada...a 5.ª volta então as pernas doíam..mas jamais diminuir ritmo ou querer cansar, afinal ainda teria 21km de corrida!Fiz a transição (e cada vez mais rápida!Estou me superando nisso )e parti pra corrida. 4 voltas de 5.250m c/leves subidas s/sombra e um sol forte é desgastante. Mas encaixei ritmo já na primeira volta e mantive constante. Confesso que na 3.ª volta tive que trabalhar psicológico porque a cabeça já estava saturada. Não doía nada...mas o cansaço mental era grande p/manter um ritmo adequado de corrida.Ver minha mãe em cada retorno dos 5.250m era o que me motivava.Fim das 4 voltas correndo e partir pra chegada!Que alegria!Mais um HalfIron terminado! Hidratar, suplementar e voltar para o hotel, agora caminhando +5,5km junto com minha mãe e curtindo a paisagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário