23 de jan de 2011

Corrida Cross Country e fim de semana


Esse fim de semana foi para estrear a temporada 2011 com um desafio, como sempre costumo fazer no inicio de cada ano, para começar com tudo o ano de competições. Desta vez escolhi o treino de pedal 50km de manhã, corrida cross a tarde e longuito no domingo. Todos bem sucedidos,embora agora sinta o cansaço normal para as loucuras.


Ontem participei da I etapa do Circuito Paranaense Cross Country, promovido pela Naventura, em Pinhais. A prova era de 12km, em um percurso de muitas e muitas subidas, em estrada de chão, em meio a belíssimas paisagens. Com largada no Parque Panorâmico (Est. Ecológica), os primeiros 8kms foram de muito sol e, confesso, cansou um pouco, pois não estou acostumada ao sol das 16h (15h – horário de verão) nem ao piso de chão batido. Entretanto a paisagem, o som dos pássaros, carneiros, da natureza tornava o percurso cada vez mais estimulante. Foi quando no km 8 caiu “a chuva”..boa demais..refrescou, revigorou e deu aquele gás pra fechar a prova. A lama, o piso escorregadio já nem importava mais. A sensação de correr naquele lugar, em meio a tantas paisagens dignas de pinturas em tela, com tantos sons maravilhosos que se misturavam entre si, compensava qualquer coisa.
Quando estava no km 11 dois corredores que voltavam já, me disseram “3.º geral”! Duvidei na hora: “ah é, ta bom.” E eles: “sério, vc é a terceira mulher.” Nossa, aquele ultimo km foi no gás e no sol novamente! Por via das duvidas, não custava acelerar um pouco mais não é? Quando chegou na entrada do parque, minha mãe só faz o sinal “3” com os dedos..Nossa...uma alegria sem tamanho tomou conta de mim..e que foi confirmada quando cruzei o pórtico e foi falado “e chegou a terceira mulher no geral, Vivian Dombrowski”. E assim, foi 3.º LUGAR GERAL FEMININO.
Bom demais ver tanto, mas tanto empenho dando resultados. Trabalhar, estudar e ainda treinar forte cansa, as vezes pesa, mas ver que sempre é possível melhorar, recompensa tudo.
Embora já conheça a Naventura e o Kleber Pacheco há anos, foi a primeira prova que fiz, até porque não “era” (agora sou) fã de provas cross. E tenho que registrar que a organização está de PARABENS. Prova organizadíssima, com água no percurso, apuração de resultados rápida, staffs no percurso, largada pontuar e premiação rápida.Além da mesa de frutas, água e produtos Jasmine. Isso prova que quando um organizador de eventos esportivos quer ser bem sucedido, ele consegue! Basta querer.
E um super agradecimento aos amigos que me deixam mensagens no twitter, facebook, blog, sms; meu treinador, Alexandre Perdão que confia em mim e na minha capacidade; ao Alan da Academia InShape, pelo suporte; minha mãe sempre presente. Muito obrigada! Vocês fazem A diferença!

20 de jan de 2011

Documentário Marathon e as diferentes motivações p/correr 42km

Ontem, pela 5.ª..6.ª vez...não sei, talvez mais ainda, assisti o documentário "Marathon", onde mostram a preparação de 6 atletas para a maratona de Chicago, incluindo 2 profissionais, 2 iniciantes, uma amadora experiente e um senhor de 70 anos.
Cada vez que assisto, consigo reparar em detalhes que não havia tido a sensibilidade de ver antes..
A preparação do queniano, em meio a uma vida sofrida de trabalho..A preparação fascinante da Deena, profissional e campeã da prova, a conciliação entre trabalho, marido e filho pequeno da amadora experiente, a empolgação das duas iniciantes, uma universitaria e outra mãe de família e a inspiradora alegria do senhor de 70 anos, me fez parar para pensar: porque as pessoas correm uma maratona?
Em apenas 1h40 de documentário, vi 6 razões diferentes...e todas incrivelmente inspiradoras.Superação, desafio, competição, remuneração ou simplesmente...paixão!
Correr 42km195m não é atividade mais fácil ou prazeirosa da vida. Requer preparação para que seu sofrimento seja um pouco minimizado, assim como cabeça e estrutura para suportar as armadilhas do percurso. No entanto, cruzar a chegada, faz com que tudo seja esquecido..toda a dor, o sofrimento, o cansaço..
Ja vi muitas pessoas abandonarem a maratona ou simplesmente andar no percurso..ou porque lesionaram, ou porque nãoe stavam preparados ou simplesmente porque foram "para ver qual é de uma maratona". No entanto, 42km não são para ir na onda de amigos...porque é moda...porque é comercial...Enfim, para se manter "vivo" numa prova dessas, tem que gostar, aliás, tem que amar correr exaustivamente kms e kms.. A preparação é tão desgastante quanto a prova...mas vale a pena.
No final do documentário, ver aquelas seis pessoas correndo a maratona e chegando todas bem, felizes, emociona...muito! Vc se vê um pouquinho em cada uma delas..e sabe que corre também por cada um daqueles motivos..embora não busque chegar em primeiro, sabemos que superar e baixar tempo é meta..principalmente depois da primeira maratona.
Contudo, toda melhora, todos os planos tem que ser ao seu tempo.Ficar obcecado em fazer varias provas, baixar tempo a qualquer custo, não é legal e, certamente fará perder o gosto pela distancia. Acima de tudo, ter paixão pelo que escolheu fazer..somente isso sustenta os treinos, a vida profissional, pessoal, social e tudo q se tem que abrir mão para terminar os 42.195m.

19 de jan de 2011

Esporte como paixão

Lendo um email que uma amiga me enviou sobre a triatleta Ironman Chrissie Wellington, fiquei pensando sobre algumas das dicas que ela dá.. TOdas absolutamente apropriadas...mas a primeira me chamou mais a atenção:

Dica #1: Paixão o levará mais longe do que qualquer marcha.
“ Você deve ser passional, apreciar o esporte e nunca perder o foco disso. Os amadores muitas vezes ficam bitolados em tempos, horas, treinos que perderam, materiais super caros... Vocês deve manter o foco de amar o esporte acima de tudo. Se divertir."


E acho que muitas vezes os atletas amadores de um modo geral, perdem um pouco o entusiasmo da diversão que um treino e uma prova trazem, por ficarem excessivamente presos às planilhas. Naturalmente, querer competir, melhorar, superar é uma característica do atleta, do contrário não estariam expondo o corpo a tantas condições de risco, às dores, ao cansaço. No entanto, se permitir um treino descontraído vez ou outra, desencanar se ao inves de 20km vc correu somente 12km, se vez ou outra o pedal virou um passeio ciclistico.. O corpo precisa de um alivio de pressão..Amadores não vivem do esporte, não tem que se cobrar excessivamente, uma vez que a profissao que escolheram ja os cobra no dia a dia.
Esporte é vida...é ter gosto em acordar cedo e partir pro treino...em ficar esperando a planilha nova pra ver o que o espera, é pedalar e correr com o vento no rosto sentindo a liberdade e perdendo a dimensão do espaço, é contar azulejos e traçar um calculo novo a cada dia e achar divertidissimo...Triathlon é dedicação, determinação, disciplina e muita, mas muita paixão.

6 de jan de 2011

Revista The Finisher

Neste mês de janeiro (14) chega as bancas a mais nova revista, da Iguana Sports, voltada ao público corredor: THE FINISHER.
É uma boa pedida para aqueles corredores voltados à corrida competitiva e com foco na superação. Abaixo segue a descrição da revista:

"A REVISTA PARA CORREDORERES DETERMINADOS E COM FOCO EM SUPERAÇÃO

Para esportistas competitivos, veteranos ou iniciantes, que são focados e que tem na corrida uma rotina exigente, mas extremamente prazerosa de realizações e superação. A FINISHER ajuda a ter evolução e estímulos constantes que aperfeiçoam os treinamentos.

Com periodicidade bimestral e informação direta e assertiva, traz a expertise dos melhores profissionais do País e também do exterior, que sugerem desde planilhas de treinos a roteiros detalhados de como manter-se focado na corrida.

O texto é modulado em pequenos quadros para uma leitura dinâmica e agradável. E as planilhas são elaboradas em zonas de pace (ou ritmo em min/km), que auxiliam a controlar a velocidade em cada treino de maneira individual."


(Fonte: site www.thefinisher.com.br )

Jardim Botânico, turistas, caminhantes e corredores


Hoje tive o privilégio de ir treinar no Jardim Botânico. Há um tempo não ia correr lá e, admito, estava sentindo falta. Aquele lugar tem uma energia que nenhum outro parque tem em Curitiba..não sei o que acontece, mas a energia lá é única! Independente se o treino é com um dia ensolarado, nublado, chuvoso, frio, calor..quando chego lá, as forças renovam. E, destaque-se, a Prefeitura tem mantido o parque muito bem. Limpo, bem cuidado, seguro.
Como estamos em um período de férias, o movimento de turistas era intenso. Bonito de se ver, aliás. Pessoas andando, caminhando, tirando fotos..e claro, uns perdidos correndo. Corredores uniformizados, diga-se de passagem..a maioria (incluindo eu) com a camiseta da maratona de Curitiba 2010. Era até engraçado.
No entanto, algumas constatações foram feitas: curitibano não sabe compartilhar o espaço comum! Enquanto os turistas se afastavam e davam preferência para os corredores, os curitibanos que lá caminhavam, faziam questão de ocupar toda a pista e, ainda, sequer deixava passar quando vinha um corredor. Se, por acaso, vc resvalasse em um “caminhante” era reclamação certa! Fora aqueles que caminham gesticulando, com os braços abertos, e nem percebem quem vem atrás. Poxa vida...parque é público e tem espaço para todos...basta seguir algumas regras de boa convivência. Cortesia e gentileza não tiram pedaço.
Sei que essa deve ser uma questão enfrentada por muitos corredores, principalmente aqueles que frequentam parques. Eu sou adepta das ruas,sei que os pedestres ocupam as calçadas, então escolho ruas onde posso correr junto ao meio-fio. No entanto, acredito que corredores e caminhantes estão la pelo mesmo objetivo: qualidade de vida e bem-estar! Respeitar uns aos outros é o mínimo necessário para isso.
Aproveitando que estava lá...fui curtir um dia de turista. Há muitos anos que não entrava no museu e na estufa e, admito, foi muito bacana. Museu com a história do Pinhão/Pinheiro, orquidário e, claro, a estufa com as espécies nativas. Fora que, me misturar aos turistas e ao “rebuliço”, estando em casa, foi uma experiência divertidíssima. Até fotos tive que tirar né??
Quem vier a Curitiba, não pode deixar de visitar o Jardim Botânico!!

5 de jan de 2011

Circuito Naventura

A Naventura está com um calendário de provas muito legal para 2011!!!

>> Circuito Paranaense de Cross Country
>> Circuito Paranaense de Corridas de Montanha
>> Circuito Paranaense de Cross Duathlon
>> Maratonas Ecológicas (Quatro Barras e Ilha do Mel)

Para começar o ano, dia 22/01 é a 1.ª etapa do Circuito Paranaense Cross Country!!
Distância: 12km
Local: Pinhais/PR
Horario: 16h
Inscrições: até 12/01
Informações: www.naventura.com.br

Vamos colocando mais informações para mantê-los atualizados sobre as provas da NAVENTURA!

Engrenando os treinos..sede ao pote?

Ano que inicia é sempre aquela agitação..aquela ansiedade para voltar a treinar forte..afinal as baterias foram recarregadas no fim de ano. Com o verão, o calor, o sol, ficamos ainda mais dispostos a correr mais...a nadar mais...a pedalar mais..
É natural. O fator ambiental e o fator psicológico são molas propulsoras no nosso desempenho esportivo. Se aliamos ambos, se torna uma ferramenta potencialmente forte..porém pode ser forte para o bem ou para o mal.
Já vi vários colegas lesionarem, quebrarem, por terem ido com muita sede ao pote em inicio de temporada ou em períodos que julgavam estar bem fisica e psicologicamente.E confesso, ja aconteceu comigo também..E é dificil saber a hora de dosar se você esta animado e motivado, ainda mais se há competição grande em vista, como uma maratona ou um Ironman, por exemplo.

Mas até onde podemos "mergulhar de cabeça" em tantos treinos sem nos machucar?

Respeitar os limites do corpo e seguir a risca as orientações do seu treinador. Em muitos casos, ficar com a sensação que poderia ter ido alem, ter feito mais, é um indicador de que o treino foi bem feito e que há energia para fazê-lo novamente no dia seguinte e assim por diante. Nem sempre chegar a exaustão física e psicológica significa desempenho para o corpo. nenhuma máquina opera no seu 100% sem entrar em colapso em algum momento. Pense nisto.E bons treinos!

Para ilustrar, segue o link de uma matéria interessante, por Mauricio Belfante da Revista O2:
Saiba dosar o ritmo

4 de jan de 2011

Corrida, mãe fumante e o bebê

Hoje estava correndo..treininho de 12km..quando na volta, passo por uma moça de uns 20 anos aproximadamente, que segurava um nenê de colo de uns 3 ou 4 meses e ao mesmo tempo conseguia equilibrar em uma das mãos um cigarro. Eu, que passei correndo, já inalei a fumaça e cheguei a tossir..imagine a criança.
Após colocar essa questão no twitter, vi que a revolta não foi somente minha..Não precisa ser atleta, triatleta, corredor, enfim, para ver a ignorância daquela mãe. Como uma twittersrun citou:"depois crescem asmáticas, doentes, entupindo os hospitais." É essa realidade do nosso país..crianças que ja nascem doentes,geradas por mães inconsequentes, que mais tarde depositam no governo, em professores e médicos a culpa de crianças doentes e com deficit de atenção, que necessitam de acompanhamento constante, enquanto elas não puderam ceder a um vício.

Acabei por pesquisar alguns sites sobre o assunto. E deixo aqui uma materia tirada do "Site Médico" sobre fumo na gravidez e após o nascimento.

FUMO E A GRAVIDEZ
Fumar durante a gravidez traz sérios riscos. Abortos espontâneos, nascimentos prematuros, bebês de baixo peso, mortes fetais e de recém-nascidos, complicações com a placenta e episódios de hemorragia (sangramento) ocorrem mais freqüentemente quando a mulher grávida fuma.

A gestante que fuma apresenta mais complicações durante o parto e têm o dobro de chances de ter um bebê de menor peso e menor comprimento, comparando-se com a grávida que não fuma.Tais agravos são devidos, principalmente, aos efeitos do monóxido de carbono e da nicotina exercidos sobre o feto, após a absorção pelo organismo materno.

Um único cigarro fumado por uma gestante é capaz de acelerar, em poucos minutos, os batimentos cardíacos do feto, devido ao efeito da nicotina sobre o seu aparelho cardiovascular. Assim, é fácil imaginar a extensão dos danos causados ao feto, com o uso regular de cigarros pela gestante.

Os riscos para a gravidez, o parto e a criança não decorrem somente do hábito de fumar da mãe. Quando a gestante é obrigada a viver em ambiente poluído pela fumaça do cigarro ela absorve as substâncias tóxicas da fumaça, que pelo sangue passa para o feto. Quando a mãe fuma durante a amamentação, a nicotina passa pelo leite e é absorvida pela criança.

Efeitos da Fumaça sobre a Saúde da Criança
Se a mãe fuma depois que o bebê nasce, este sofre imediatamente os efeitos do cigarro. Durante o aleitamento, a criança recebe nicotina através do leite materno, havendo registro de intoxicações atribuíveis à nicotina (agitação, vômitos, diarréia e taquicardia) em filhos de mães fumantes de 20 ou mais cigarros por dia.

Em recém-nascidos, filhos de mães fumantes de 40 a 60 cigarros por dia, observou-se acidentes mais graves como palidez, cianose, taquicardia e crises de parada respiratória, logo após a mamada.

Estudos mostram que crianças com sete anos de idade, nascidas de mães que fumaram 10 ou mais cigarros por dia durante a gestação, apresentam atraso no aprendizado quando comparadas a outras crianças: observou-se atraso de três meses para a habilidade geral, de quatro meses para a leitura e cinco meses para a matemática.

Há também uma maior prevalência de problemas respiratórios (bronquite, pneumonia, bronquiolite) em crianças de zero a um ano de idade que vivem com fumantes, em relação àquelas cujos familiares não fumam. Observa-se que, quanto maior o número de fumantes no domicílio, maior o percentual de infecções respiratórias, chegando a 50% nas crianças que vivem com mais de dois fumantes em casa.

É, portanto, fundamental que os adultos não fumem em locais onde haja crianças, para que não as transformem em fumantes passivos.


Fonte:www.sitemedico.com.br

2 de jan de 2011

Tempos e retomadas de treinos

Fim de ano é um período onde muitos atletas terminam suas temporadas e aproveitam para descansar ou apenas reduzir o ritmo, fazendo uma manutenção. Seja qual for o seu momento, o importante é respeitar o corpo no retorno aos treinos, ou ao aumento de intensidade dos mesmos. É o nosso organismo o melhor parâmetro para sabermos onde podemos forçar e quando devemos segurar o ritmo. Para complementar, segue uma matéria da Revista Contra Relógio, sobre ser escravo do relógio, a comparação com outros atletas e o desempenho em provas (que pode ser estendido aos treinos):

Contra o relógio SIM, escravo do relógio NÃO
Edição 158 - NOVEMBRO 2006 - TOMAZ LOURENÇO

Uma conversa comum entre corredores antes de uma largada é: “Vai fazer pra quanto?” A resposta depende do otimismo/pessimismo do perguntado, de sua segurança em relação ao seu condicionamento ou de sua experiência
Naturalmente que é interessante se ter uma meta ao se inscrever em uma corrida, mas é necessário não fazer disso um objetivo rígido, por mais que a aspiração em questão tenha por base fatos concretos. Ou seja, mesmo que treinos recentes ou até a participação em uma prova apresentem resultados que levem a se imaginar conseguir determinada marca na competição, é importante não considerar esse número como algo atingível. Poderá ser mais, poderá ser menos. Deixe seu corpo dizer a "verdade" no dia!
Não é inteligente entrar numa prova com determinada marca na cabeça, definida pelo próprio corredor, pelo treinador ou por uma revista. O resultado em questão pode até ser uma referência, mas se durante a competição constata-se estar "no dia", então é ir em frente e talvez até conseguir o recorde pessoal na distância. Por outro lado, ao sentir que por alguma razão não se está rendendo como previsto, o melhor a fazer é seguir em frente e deixar para outro dia a obtenção de uma grande marca. Por mais que a pessoa tenha garra, não é possível ir contra o próprio corpo, exigir dele o que ele não está em condições de dar naquele dia.
As razões para bons e maus dias vão desde as características da própria competição (boa ou não organização - especialmente abastecimento, percurso com ou sem subidas e descidas, temperatura no dia, muita gente, dificultando ultrapassagens etc) até as condições físicas do corredor: estar ou não bem descansado no dia, ter treinado adequadamente, não estar passando por problema médico, que por vezes ainda não se constatou etc.
Dessa maneira, a postura rígida em relação a um resultado que se deseja fazer pode tanto inibir a obtenção de uma boa marca como forçar um corredor a fazer mais do que está em condições naquele momento. E isto é muito comum em nossas provas, com corredores dizendo "estou bem, mas no limite do meu ritmo e vou segurar..." ou "estou passando os quilômetros acima do previsto e tenho que me esforçar". A primeira situação é a mais corriqueira, sendo que por vezes o limitador é o monitor de freqüência cardíaca, excelente ferramenta em treinos, mas que em uma prova pode mais atrapalhar que ajudar, ao se estabelecer um bpm (batimentos por minuto) máximo, aquém do que a pessoa poderia correr.
Assim, da próxima vez que você entrar numa prova, deixe seu corpo lhe dizer como está naquele dia. Se você começar a passar os quilômetros mais rápido do que esperava, e estiver se sentindo muito bem, vá firme para um grande resultado. Mas se as marcas de quilômetro demorarem para chegar, então desligue o relógio-cronômetro e siga para a chegada, numa boa.

Feliz 2011

Feliz 2011 pessoal!!

Começamos 2011 com renovações,novos planos, novos objetivos (mais ousados?), mais energia e mais gás para treinar!
Como é bom encerrar um ciclo. Aprendizados, experiências...as vezes não tão boas porém necessárias. É nas adversidades que aprendemos e conhecemos as pessoas. Posso dizer que 2010 foi um ano pesado..dificil...mas também com vitórias pessoais, superação e a sensação de dever cumprido. Passei por momentos terríveis, mas também fui recompensada com o fortalecimento de antigas amizades e o surgimento de novas.

A todos vocês que estiveram comigo em 2010, obrigada! Agradeço o apoio, o carinho, a amizade verdadeira. Espero estarmos todos juntos em 2011 para muitas alegrias, comemorações e bons momentos.

De agora em diante, o blog também trará novidades e matérias do mundo do triathlon e das corridas, assim como crônicas de treinos e competições.

Valeu galera!! Foco em 2011! E como diz o coach (mais uma parceira renovada para 2011): "Vamo pra cima!!"