21 de jun de 2010

limite entre treinar e não treinar: o corpo sabe?

Quando finalmente eu estava ficando empolgada em treinar sem chuva, garoa e vento gelado...Eis que o tempo seco atacou minha rinite alérgica. O estopim foi o treino de pedal e corrida no sabado pela manha...

Vento forte na estrada...poeirão...sol e mais vento na corrida...nao teve jeito: crise alérgica grau avançado..rs sabado passei mal.. E domingo fui encarar os 25km de longão de corrida, a base de anti-alérgico e analgésico... Por sorte o ar ja estava ficando mais úmido, mas garanto que não foi a melhor idéia que tive..

Então fico pensando, até aonde vale a pena sacrificar o corpo em função de treinos? Qual a linha que divide o treinar do não treinar? Eu sei que tenho exposto meu corpo a uma carga intensiva de provas, treinos, mesmo com lesões e problemas.. Não sei se isso faz mal ou me ajuda... Sei q nao consigo mais ficar parada... E que após algumas decepções com pessoas que gostava muito, fiquei mais forte e mais disposta a encarar meus desafios..

Há uns dias ouvi uma frase e a transformei em combustível: "faça das suas decepções o caminho para sua vitória." veio exatamente em um momento ruim e caiu como uma luva.. Na verdade "ha males que vem para o bem"...e esse foi um..

Vamo que vamo...Que a semana tá so começando...com chuva! E momento hamster..natação e pedal (rolo) hj pra esquentar os motores...

Um comentário:

  1. Eu só tenho certeza de uma coisa: se o psicológico estiver um bagaço não há treino que dê certo; por mais que o físico diga que dá pra encarar.
    E que venha o nosso inverno menos chuvoso (???) que a metereologia previu.
    Apesar que treinar em Curitiba é só uma questão de se programar...se programar com São Pedro e combinarem entre si o melhor horário. :)
    Beijo

    ResponderExcluir